Mude o tamanho do texto: A A A

Exercícios físicos e a aprendizagem de um novo idioma

Muitos estudos têm tentado entender e avaliar a influência da atividade física nos aspectos de aprendizagem e desempenho intelectual das pessoas. Estudos recentes revelaram que a prática de exercícios pode realmente auxiliar na aprendizagem de um novo idioma.

Essa correlação atividade-aprendizagem pode ser explicada por diversos motivos:

– Uma pessoa ativa tem o organismo funcionando de maneira mais equilibrada e estável, o que facilita um estado mental de maior concentração para aprender;

– Melhor circulação do sangue levando a um melhor aporte de nutrientes e oxigênio para o cérebro e todo o sistema nervoso, nos deixando mais aptos a aprender;

– Alívio do estresse, que pode desviar nosso foco de atenção e dificultar a aprendizagem;

– Pessoas mais ativas têm uma tendência maior a se alimentarem melhor e, como resultado, oferecem variedade maior de nutrientes para todos os sistemas do corpo funcionarem melhor;

– O sistema de produção hormonal do corpo fica mais equilibrado, permitindo que a transmissão dos impulsos nervosos com origem na captação de informação sensorial (visão, audição, tato, olfato e paladar) fique mais clara e seja transmitida com menos “ruído” para as áreas do cérebro relacionadas;

– A execução de movimentos demanda grande trabalho do sistema nervoso, pois os músculos se contraem por estímulos voluntários enviados a partir dele e são controlados totalmente pele mesmo sistema, o que, obrigatoriamente, coloca e exercita as vias de transmissão em atividade, melhorando assim todo seu funcionamento;

– E por último, e talvez um dos mais importantes – tanto que é o que mais tem sido estudado -, é a utilização do movimento/exercício durante o momento da aprendizagem, de maneira integrada com o conteúdo, para gerar mais fontes de entrada de informação no cérebro associadas ao mesmo conceito, bem como a geração de emoções e sensações capazes de marcar a experiência motora. Isso faz com que a profundidade de absorção do conteúdo seja multiplicada em no mínimo duas vezes.

Todos esses motivos transformam a capacidade de aprendizagem e a experiência educacional em algo muito mais rico, profundo e consistente, explorando mais o potencial de nosso cérebro de processar e armazenar informações.

Derivado da história do idioma e da aprendizagem, podemos pensar nas doenças relacionadas ao sistema nervoso, tanto fisiológicas como psicológicas. E então, na via reversa, pensar em utilizar o movimento e o exercício como estimuladores e vias terapêuticas de indução e manipulação das variáveis capazes de mexer com o seu funcionamento para buscar melhorias importantes, nada invasivas e muito eficientes na recuperação e manutenção de um bom estado de saúde neurológica.

É a ciência nos mostrando mais uma vez que corpo exercitado também faz cérebro fortalecido!

Cristiano Parente é professor e coach de educação física, eleito em 2014 o melhor personal trainer do mundo em concurso internacional promovido pela Life Fitness. É CEO da Koatch Academia e do World Top Trainers Certification, primeira certificação mundial para a atividade de educador físico.

Seja o primeiro a comentar sobre "Exercícios físicos e a aprendizagem de um novo idioma"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*