Os desafios da baleia azul

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

De repente, o jovem muda o comportamento e passa a ter atitudes autodestrutivas. Não é raro os que com ele convivem pensarem ter se envolvido com drogas ou enfrentando algo maior do que sua capacidade de assimilação. Além desses problemas clássicos, surge agora o chamado “Desafio da Baleia Azul”, veiculado pelas redes sociais, onde um controlador distribui tarefas ao participante e o induz a desenhar o animal marinho no corpo, se automutilar e até cometer o suicídio. Consta que na Rússia, onde o jogo surgiu, já morreram mais de 130 jovens. No ultimo mês, foram noticiados dezenas de casos no Brasil, com as primeiras mortes e a salvação de jovens que, estimulados pelo jogo, se preparavam para por fim à vida.

 A polícia investiga os suicídios recentes e busca neles identificar os indícios de participação das vítimas no esquema da Baleia Azul. As equipes de combate aos crimes cibernéticos rastreiam a existência de pessoas e grupos multiplicando os 50 desafios do jogo – escrever com uma navalha o nome do grupo na palma da mão, cortar o próprio lábio, desenhar uma baleia no corpo com uma faca, até chegar ao desafio final, que ordena tirar a própria vida – e buscam identificar os seus responsáveis, identificados como “curadores”. São eles que distribuem as tarefas e, segundo mensagens já conseguidas, ameaçam os participantes que não cumpram o determinado.

 Esse jogo é mais um lixo a circular pelo território da internet. Não beneficia os participantes e pode levá-los à morte. Nesse ponto é mais prejudicial que os grandes golpes e outros crimes cujos praticantes se valem da rede para tirar vantagem dos incautos. Além das autoridades, que precisam aplicar a tecnologia de informação e investigação para identificar e punir os responsáveis, é preciso a sociedade e, principalmente, a família estarem atentas. Pai, mãe, irmãos e outros familiares, professores e amigos devem se interessar pelo seu jovem e, ao verificar comportamento inadequado, agir em seu socorro. A rede deve ser usada para servir o homem e a sociedade, jamais para prejudicá-los…  

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)  [email protected]          

Seja o primeiro a comentar sobre "Os desafios da baleia azul"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*