Mude o tamanho do texto: A A A

Nadaf diz que “esquema” beneficiou Maggi e Silval

Silval e Maggi foram acusados por Nadaf de participação em esquema de "caixa 2" (Foto: Reprodução)

Em delação, ex-chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf revelou que grupo negociou propina por benefícios fiscais.

DOUGLAS TRIELLI
Da Redação/Mídia News

O ex-secretário de Estado da Casa Civil, Pedro Nadaf, afirmou que o senador e atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), foi beneficiado por dinheiro de um esquema com o Grupo Marfrig, por meio de doação de campanha em 2010, através de de Caixa 2.

Segundo Nadaf, o grupo que atua na área de frigorífico aceitou doar R$ 5 milhões para as campanhas de Silval Barbosa (PMDB) e Maggi, em troca de benefícios fiscais e redução de ICMS.

As negociações foram feitas diretamente com o presidente da Marfrig, Marcos Molina, por Silval, Nadaf e Cidinho Santos (PP), atual suplente de Maggi e que ocupa sua cadeira no Senado.

Disse Nadaf ao Ministério Público Federal (MPF): “Durante a reunião, Silval Barbosa deixou claro a Marcos Molina que o Grupo Marfrig, por possuir investimentos em Mato Grosso, e ainda contar com projetos de novos investimentos, deveria auxiliar em sua campanha política. Em troca dessa ajuda, Silval Barbosa prometeu retorno de apoio ao Grupo Marfrig no tocante à redução de ICMS, por meio de incentivos fiscais”.

Segundo Nadaf, Marcos Molina aceitou fazer uma doação de R$ 5 milhões, e que iria estudar melhor e depois daria uma resposta definitiva.

“O Grupo Marfrig aceitou contribuir na campanha justamente por conta do retorno do montante desembolsado que iria usufruir em razão da redução tributária na carne”, disse Nadaf.

“Apenas parte do valor de R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais) foi doada oficialmente para a campanha ao senado de Blairo Maggi, e parte para a campanha ao governo de 2010 de Silval Barbosa, não sabendo o Declarante (Nadaf) descriminar o valores”.

Trimec
Parte do dinheiro foi repassada a Silval por meio da Trimec Construções e Terraplanagem. “Houve uma terceira parte do montante de R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais) que foi repassada para Silval Barbosa através da construtora Trimec, não sabendo o Declarante discriminar quando foi tal divisão de valores”.

“O recebimento desse dinheiro por Silval Barbosa através da Trimec ocorreu através de um contrato simulado de obras de terraplanagem em Jaciara e Rosário Oeste com a empresa Pampeado (empresa do grupo Marfrig), a qual transferiu o valor destinado a Silval Barbosa para a construtora Trimec e esta, por sua vez, repassou os valores oriundos do Grupo Marfrig que havia sido acertado, ao governador”, explicou Nadaf.

“Não me recordo ao certo das tratativas posteriores, pois parte delas foram feitas por Cidinho, que na ocasião era suplente de Blairo Maggi, e assim também buscava apoio para sua campanha, bem como que era quem do grupo possuía maior contato com o dono da empresa”, afirmou.

“O Grupo Marfrig iria receber de volta muito mais do que os R$ 5 milhões que estava doando para as campanhas políticas, através dos incentivos fiscais que Silval Barbosa barganhou por tal apoio financeiro. O uxílio para campanha do governador também como dinheiro de propina, foi ressarcido à empresa através dos incentivos fiscais, deixando assim o Estado de receber milhões de tributos do Grupo Marfrig”, disse Nadaf.

Seja o primeiro a comentar sobre "Nadaf diz que “esquema” beneficiou Maggi e Silval"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*