Mude o tamanho do texto: A A A

Mato Grosso realiza evento em comemoração ao reconhecimento do Brasil como país livre de febre aftosa com vacinação

Haillyn Heiviny/Gcom-MT
A última ocorrência de febre aftosa em Mato Grosso foi registrada em 1996. E desde o ano 2000, o estado é reconhecido internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa com vacinação. Para alcançar esse status, foi necessário unir forças de toda a cadeia produtiva e muito trabalho.

Em maio deste ano, o Brasil será reconhecido pela OIE, como país livre de febre aftosa com vacinação, em razão da certificação que será entregue aos estados do Amapá, Amazonas, Roraima e parte do Pará, áreas que ainda não possuem o reconhecimento internacional. E em comemoração a essa conquista tão importante que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) convocou todos os estados a celebrar este marco para a pecuária brasileira.

Em Mato Grosso, o dia escolhido foi esta quinta-feira (05.04). O encontro foi realizado na sede da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), em Cuiabá. Um dia marcado por reencontros, recordações e muita emoção, por aqueles que viveram e percorreram pelo estado em prol da sanidade do rebanho mato-grossense.

A presidente interina do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso, Daniella Soares, destacou a participação de todos os entes envolvidos nessa missão. “A conquista desse status e a manutenção diária dele, tem a contribuição de cada servidor público do Indea e do Ministério da Agricultura, não somente dos médicos veterinários, mas de todas as categorias do quadro de servidores, e de todo o setor produtivo”.

Daniella ressaltou ainda, o Plano Estratégico para o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), previsto para ser executado nos próximos dez anos em todo o país. “Comemoramos hoje, o status de livre de febre aftosa e caminhamos para a retirada da vacinação. A nossa evolução está desenhada no Plano Estratégico, delineando os desafios da última etapa de erradicação da doença, consolidando de vez a condição sanitária conquistada pelo país, contribuindo com a proteção do rebanho pecuário nacional, com o máximo de benefício aos atores envolvidos e a toda sociedade brasileira”.

Para o superintendente Federal de Agricultura em Mato Grosso (SFA-MT), José de Assis Guaresqui, o evento é um marco para o país. “O evento de hoje é um marco para o país e, por conseguinte Mato Grosso, que tem o maior rebanho do país. A certificação internacional representa a garantia de qualidade do nosso produto frente ao mercado internacional. Com certeza essa junção de esforços entre iniciativa privada, governos federal e estadual, enfim todas as forças que trabalham a cadeia produtiva da carne se sentem honrados em ter um produto oferecido com qualidade para o país e para o mundo”.

O evento é uma realização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Governo de Mato Grosso por meio do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea-MT), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Sindicato das Indústrias de Frigoríficos do Estado de Mato Grosso (Sindifrigo), com o apoio do Fundo Emergencial de Saúde Animal do Estado de Mato Grosso (Fesa-MT).

Reconhecimento

Algumas personalidades que atuaram e contribuíram para que Mato Grosso alcançasse o status de livre de febre aftosa com vacinação, foram homenageadas, entre produtores rurais, servidores do Indea e do Mapa. Cada um recebeu uma placa simbolizando o reconhecimento pelo trabalho prestado, que contribuiu para o estado ser considerado gigante na pecuária brasileira, ocupando o primeiro lugar na produção de bovinos.

Para Fernando Antônio Moretto, servidor do Indea desde 1984, um dos homenageados, a sensação era de dever cumprido e de novos desafios. “É um misto de dever cumprido e de desafio que ainda temos pela frente, até chegarmos à erradicação completa da doença. A minha jornada começou em dezembro de 1984, em Cáceres, trabalhando na área de fronteira com a Bolívia”, disse Moretto, visivelmente emocionado ao relembrar sua trajetória no Indea. Moretto contribuiu em diversas áreas do Indea e aposenta-se em agosto deste ano.

O produtor rural José Antônio de Ávila, mais conhecido como Zeca D’ Ávila, também teve uma participação expressiva. Em 2000, Zeca D´Ávila esteve em Paris, na Assembleia da OIE, ocasião em que Mato Grosso recebeu o certificado de área livre da febre aftosa com vacinação. Com tanta história para contar, Zeca D’ Ávila disse ser um orgulho para o país receber esse reconhecimento internacional.

“Isso para nós é motivo de orgulho. Quando iniciamos, entendemos que era preciso cuidar da nossa propriedade como um todo. O produtor entendeu que saúde do rebanho era fundamental para a rentabilidade, assim ele teria mais benefícios, mais lucro. E isso é importante. Fizemos um trabalho importante na fronteira com a Bolívia. O produtor, de um modo geral, participou com a vacinação na Bolívia e isso para nós é um orgulho, uma honra para o setor produtivo”.

As homenagens foram concedidas aos servidores do Mapa, Donizeti Pereira de Mesquita, Ênio José de Arruda Martins (in memoriam), e Alzira Araújo Menezes Catunda; aos servidores do Indea, Dra. Rísia Lopes Negreiros, Ivo Pedroso Santana (in memoriam), e Paulo Antônio da Costa Bilego; e também para o produtor rural, Amarildo Merotti.

Apresentação

Após a solenidade de homenagens, foi apresentada a palestra “Brasil livre de febre aftosa”, pela servidora do Indea Rísia Lopes Negreiros, doutora em Epidemiologia Experimental Aplicada às Zoonoses pela Universidade de SP.

Dayanne Santana | Indea-MT 

Seja o primeiro a comentar sobre "Mato Grosso realiza evento em comemoração ao reconhecimento do Brasil como país livre de febre aftosa com vacinação"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*