Mude o tamanho do texto: A A A

O futuro a Deus pertence

Diz determinado ditado popular que quando tudo está complicado. Se sai do espeto e cai na brasa. Há certa dificuldade no manuseio do produto e ainda mais na qualidade do mesmo, motivo pelo qual se fizermos um paralelo de um churrasco, com a política, veremos que estamos perto de cairmos é nas cinzas, por que nem o carvão estamos tendo mais para ser queimado, neste atual momento.

Há também as dificuldades de se achar um partido sério, ou um candidato à altura desta conjuntura econômica e política, muito embora, quase que por unanimidade, todos queiram também tirar o seu naco de aproveitamento neste mundo corruptível.

Sabe-se que se não houver um fato novo (com a interferência militar para colocar as pedras nos seus devidos lugares), no próximo outubro de 2018, poucas pedras de qualidades teremos nos novos remanejamentos programados e é quando muitos pessimistas entendem que se planejam trocar o seis por meia dúzia.

No caso da Presidência, estima-se, no momento, que a perspectiva da continuidade do caos é palpável. A expectativa é de que se passe uma régua em tudo e se comece, de novo, o processo de desestabilização, ou seja, que se evite o ingresso de estranhos no ninho dos atuais malfeitores do Poder.

Haveremos também de entender que o próprio povo quer assim. Comprova esta afirmativa os institutos de pesquisa que expõe, no atual momento de controvérsia política, aquele que pontua ser, juntamente com outros abnegados corruptos, o escolhido.

Lulalá, conforme os preditos tem a preferência do povo neste primeiro momento. O que pensa e como pensa a nação brasileira, diante desta anarquia generalizada. Se não for ele, por estar inviabilizado, querem por tabela, outro amalucado de nome Bolsonaro, que fez parte (ou faz?)_de uma militância desordenada.

Segundo o Ibope o cenário mostra uma boa vantagem do ex-presidente Lula, perante os outros, muito embora candidatos sérios, de verdade, ainda não apareceram no cenário. O já sentenciado petista teria 35% das intenções de voto contra 13% do segundo colocado, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC). Capitão da reserva do Exército. Tido como conservador (???), ele não faz o pensamento dos militares, segundo também outros estudiosos.

Quer aparecer como da linha militar, mas não é como também nunca disputou um cargo ao executivo, muito embora tenha demonstrado ter fôlego para a disputa presidencial.

Atrás de Lula e Bolsonaro, ainda conforme o Ibope, estão a ex-senadora Marina Silva (Rede), cansada de guerra, com 8%, o governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), e o apresentador de televisão Luciano Huck (sem partido), com 5%, e o prefeito paulistano, João Doria, com 4%. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT), também cansado de guerra, tem 3% das intenções de voto.

Bom ressaltar que as únicas novidades colocadas estão João Doria e Luciano Luciano Huck. Este último é a piada do momento, que a Rede Globo colocou na pauta Ainda bem que muitos são marias, vão com as outras, mas nem tanto.

O programado, se realmente a Justiça for Justiça, é que o quadro político será outro inteiramente diferente, com a manutenção da pena de Lula, na 2ª. Instância. Esta e outras que estão caminhando a passos de tartaruga nas manobras daqueles que querem ver o circo pegar fogo, com eles dentro.

O cenário, porém, segundo a imprensa nacional, é visto com ressalvas por analistas. O cientista político Rócio Barreto acredita que o ex-presidente Lula não poderá se candidatar, sendo barrado pela Lei da Ficha Limpa.

Neste ano, o petista foi condenado por corrupção pelo juiz Sergio Moro e pode ser barrado caso a pena seja confirmada em segunda instância. “O Lula possivelmente vai ser condenado em segunda instância e possivelmente não poderá ser candidato. Ainda é muito cedo para a gente avaliar cenários com perspectivas que possam realmente acontecer”, afirma o analista.

Até o momento ainda não vimos ou ouvimos as demandas de outros partidos e muito menos do PMDB de Michel Temer, que quando se trata de cooptação, não pensa duas vezes e controla, através de emendas e outros engambelos, todo um aparato nocivo ao País. O sentimento de brasilidade e de consciência, imaginamos, deve prevalecer, dentro em breve, ou seja, na hora de votar em alguém que seja realmente imbuído de bons sentimentos, honestidade e o pulso firme que somente os verdadeiros militantes possuem.

Deus nos proteja desta parafernália…

Seja o primeiro a comentar sobre "O futuro a Deus pertence"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*